SANTA CLARA D’OESTE


 igreja matrizAs mudanças sociais causadas entre as décadas de 30 e 40 impulsionaram muitos homens na busca de novas terras. A Segunda guerra mundial, o desenvolvimento industrial e o café como principal produto brasileiro, fizeram muitos perderem seus espaços e, por conseqüência, as chances de progresso onde viviam.

Sr. John Bing Paget, proprietário de uma grande gleba na região de Araraquara, precisou vender suas terras em 1946 porque a guerra o empobrecera. A Fazenda Ponte Pensa, uma área de mais de 30.000 alqueires limitada a norte e oeste pelo Rio Grande, ao sul pelo Rio São José dos Dourados, estendendo-se até as proximidades de Jales no lado leste, foi loteada para ser vendida à trabalhadores rurais pela CAIC (Companhia de Agricultura, Imigração e Colonização).

chegadacidadeA cidade de Santa Fé do Sul foi planejada para dar assistência a centena de compradores e, logo depois, pioneiros tornaram realidade as cidades de Rubinéia, Santa Clara d ‘Oeste, Santa Rita d ‘Oeste e Santa Salete.

O Sr. Giocondo Giovanni Gazzoto, de família de origem Italiana, fortemente ligada à tradição do café, adquiriu um sítio de 25 alqueires com intenção primeira de transformá-lo em área de monocultura cafeeira. Porém, como era construtor em Santa Fé e não residia no sítio, percebeu em suas idas à propriedade e, em conversas com outros sitiantes, a dificuldade deles em residir longe de núcleos urbanos, afinal, Santa Fé ficava a 18 km do local do sítio e a estrada que lhes separava não passava de uma picada onde mal passava um homem e ou um cavalo! Foi dessas observações que lhe surgiu a idéia de fundar uma cidade.

CachoerinhaO sítio de 25 alqueires destinado a plantação de café, acabou por abrigar uma cidade; a área urbana ficou com 5 alqueires e 6 alqueires foram divididos em chácaras. Cada lote urbano foi vendido a 250 cruzeiros, moeda corrente da época, e assim surgiu a vila de Santa Clara, cujo nome vem de uma das filhas do Sr. Gazzoto, em homenagem à Santa Italiana da região de Piemonte. Como Santa Clara era uma santa pouco conhecida pelos sitiantes, a padroeira da cidade ficou sendo Nossa Senhora mas, todo dia 11 de Agosto, dia de Santa Clara, é feita uma grande festa que inclui a procissão dos cavaleiros.

A inauguração da vila data de 20 de Maio de 1951, mas comemora-se o aniversário da cidade em 21 de Março, data da emancipação política, quando Santa Clara d ‘Oeste veio a se transformar em distrito.

 

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.